Jornal Praça Pública

Artes de rua invadiram o centro de Ovar para três dias de FESTA

Manuel Correia

Artes de rua invadiram o centro de Ovar para três dias de FESTA

Decorreu, entre os dias 22 e 24 de julho, a terceira edição do Festival Internacional de Artes na Rua, mais conhecido por FESTA. Este ano, o FESTA, apresentou-se remodelado e ampliado, decorrendo durante mais dias, em relação aos anos anteriores. Assim, a terceira edição do Festival Internacional de Artes na Rua contemplou 25 manifestações artísticas, proporcionados por 17 artistas, provenientes de três países diferentes, das quais 10 são portuguesas.
Começando pelos espetáculos de origem nacional, a companhia Trigo Limpo Teatro ACERT, formada em 1976, com o objetivo de descobrir novas linguagens artísticas e do espetáculo, trouxe a Ovar, a peça “A Viagem do Elefante”, baseada no conto com o mesmo nome, que integra a obra “Nesta Esquina do Tempo”, de José Saramago. Nesta adaptação do romance histórico de José Saramago, o elefante Salomão torna-se a personagem principal do espetáculo que descreve a viagem deste elefante asiático, que no século XVI, viu-se obrigado a percorrer mais de metade do continente europeu, devido a alguns caprichos e vontades absurdas, retratando o paquidermísmo humano e o o humanismo afetuoso do elefante Salomão, presentes na obra de José Saramago.
Já o grupo Hugo Carvalhais Criptic Quartet, encheu o largo do Passo do Horto, no final de tarde do dia 23 de julho, de jazz, convidando-nos a assistir ao concerto de Hugo Carvalhais, um dos mais talentosos e “suis generis” contrabaixistas da sua geração, tendo já editado vários trabalhos (o seu último álbum entitula-se “Grand Valis”), aclamados pela crítica, razão pela qual é considerado uma referência incontornável do jazz.
Ao nível internacional, foram 10 as companhias que marcaram presença no Festival Internacional de Artes na Rua, vindas de Espanha e de França.
Espetáculos girafas, tratores, música e fogo, e muita interação com o público, marcaram os três dias de FESTA, contudo, alguns destacaram-se e mereceram rasgados elogios do público ovarense.
Foi o caso da Cie. Beau Geste. Trata-se de uma companhia francesa, que foi formada em 1981, por um grupo de sete bailarinos no Centre National de Danse Contemporaine, fazendo com que todos os bailarinos ocupem papéis principais, ou o papel de coreógrafos, de forma alternada. Esta companhia trouxe ao nosso concelho, o espetáculo “Transports Exceptionels”, um espetáculo de dança excecional, no qual um bailarino e uma escavadora protagonizam uma coreografia, na qual, o bailarino usa o braço da escavadora, para concretizar os passos da coreografia, como se este fosse um braço de um ser humano.
Também de França, veio a companhia Ulik & Le Snob, fundada em 1994, com o objetivo de explorar as áreas das artes de rua e do espaço público. Ulik & Le Snob levaram ao Parque Senhora da Graça, o espetáculo “Glisssssssssendo”, que alia o fogo à música. Neste espetáculo, nove personagens apresentam um reportório minimalista e repetitivo, num ambiente distinto, protagonizando um bailado irreal ao qual se junta o fogo, de forma sublime.
De Espanha, vieram as companhias Xirriquiteula Teatre e Tomb Creatius. Começando pela companhia Xirriquiteula Teatre, esta companhia foi fundada, decorria o ano de 1985, em Barcelona, tendo, durante os seus 31 anos de existência criado espetáculos para vários tipos de palco e  públicos de todas as idades, sendo que esta companhia já trabalhou com vários diretores, no sentido de aprenderem e evoluírem, tanto como artistas e criadores. No FESTA deste ano, os Xirriquiteula Teatre fizeram-se apresentar com o espetáculo “Girafes”, no qual uma família de girafas (pai, mãe e cria) andam pelas ruas da cidade, transportando-nos para um ambiente selvagem, e interagindo com o público presente.
Quanto à companhia Tomb Creatius, esta é uma companhia infantil, criada em 2000. Os seus espetáculos, são maioritariamente compostos por jogos interativos que a própria companhia constrói, dirigidos a todas as idades, como é o caso do espetáculo “The Strange Travel of Senyor Tonet”, que conta as histórias vividas pelo Senyor Tonet, durante as suas viagens.

Leia o artigo completo na nossa edição impressa, que já se encontra nas bancas.

Artigos Relacionados