Jornal Praça Pública

Artur Marques regressa à Ovarense para devolver o clube aos nacionais

Artur Marques regressa à Ovarense para devolver o clube aos nacionais

Artur Marques está de regresso à Ovarense. Dez anos e cinco meses depois de ter subido ao relvado do Estádio Marques da Silva, pela última vez, com a camisola alvi-negra, com a qual atuou durante 10 temporadas e meia, o antigo capitão da Ovarense regressa a casa, desta vez no ‘papel’ de treinador, com o objetivo de devolver a mística ao balneário vareiro e o clube aos campeonatos nacionais.
Foi com um, “está tudo tão diferente”, acompanhado de outro “há quanto tempo eu não entrava aqui”, que Artur Marques entrou na antiga sala de conferências de imprensa do clube para conceder a primeira entrevista oficial e exclusiva, ao PRAÇA PÚBLICA, como o novo treinador da Ovarense.
Ainda que acompanhado por Paulo Campino, presidente da Ovarense, e ladeado por Cândido Costa, técnico da equipa feminina, só o avançar do relógio ajudou a passar o nervoso miudinho que o novo treinador da Ovarense deixou transparecer. O resto veio depois, naturalmente, já que continua a ser um homem do futebol, agora com outros objetivos.
Sentado com o emblema da Ovarense pelas costas, assistiu às primeiras perguntas como se da primeira vez se tratasse. Na verdade, este foi um regresso a uma casa que bem conheceu e que, agora, quer ajudar a guindar aos campeonatos nacionais.
Depois do agradecimento a Paulo Campino, pelo convite para liderar o novo projeto da Ovarense, Artur Marques salientou tratar-se de um regresso “cheio de alma, de paixão e, sobretudo, cheio de emoção, a um clube que mexe comigo”, reconheceu.
Com a sua chegada à Ovarense, o antigo capitão da Ovarense espera “ajudar a mexer com a cidade e com o próprio clube, que precisa que lhe devolvam a mística”, diz, destacando que, se isso acontecer “vamos conseguir acordar o ‘monstro’ que já foi a Ovarense”.
Apesar de reconhecer que “a tarefa não é fácil”, Artur Marques aceitou o desafio e aponta “a subida do clube aos nacionais”, como o “principal objetivo a atingir nas próximas quatro épocas”, assegura. Para isso, diz o novo treinador da Ovarense, “é preciso que se criem as condições necessárias”, desde logo do ponto de vista das “infraestruturas, para que possamos planear e treinar com um mínimo de condições”, defende. O projeto, diz Artur Marques, “é interessante e aliciante”, mas para que resulte “é necessário que a cidade e, particularmente, as pessoas nos ajudem”, refere.
Na hora de anunciar o regresso, Artur Marques reconheceu que sempre sonhou voltar à Ovarense e diz que, agora cá está “para cumprir esse sonho”. O agora treinador alvi-negro, diz que, “mesmo estando fora, sempre fui acompanhando a Ovarense”, e assegura reconhecer que “houve pessoas que pegaram no clube com muita coragem e que evitaram que ele morresse”.
Agora, salienta Artur Marques, é hora de dar início à preparação da próxima época. O clube volta a não poder pagar salários, mas nem por isso Artur Marques deixará de contar com a colaboração de uma equipa técnica composta por um treinador adjunto, um preparador físico e de um treinador de guarda-redes. O plantel, assegura o novo treinador da Ovarense, “é para começar a ser preparado dentro de pouco tempo”.

Artigos Relacionados