Jornal Praça Pública

Associação Musical Banda do Lau inaugurou sede social e apresentou projeto social FUSA – Academia de Música

Manuel Correia

Associação Musical Banda do Lau inaugurou sede social e apresentou projeto social FUSA – Academia de Música

Teve lugar, no passado dia 28 de setembro, a inauguração da sede social da Associação Musical Banda do Lau e do projeto pedagógico FUSA- Academia de Música, numa cerimónia que contou com a presença de Salvador Malheiro, presidente da Câmara Municipal de Ovar, de muitos autarcas, do maestro Ascendino Silva, presidente da Associação Musical Banda do Lau, e de muitos amigos da recém criada instituição.
Ascendino Silva lembrou que a Banda do Lau surgiu de “um grupo de amigos, que na altura estavam ligados às bandas filarmónicas”, que se juntou “em 1970, para o Carnaval de Ovar”.
O presidente da Associação Musical Banda do Lau contou um pouco da história da agora associação, lembrando que “a Banda do Lau, que trabalhou até 2006, fez carnavais, fez bailes, fez uma série de iniciativas”. Nesse ano, disse Ascendino Silva, “a Banda do Lau parou, embora, pontualmente fosse fazendo alguns trabalhos, mas não como o que era normal”.
Segundo Ascendino Silva, seis anos mais tarde, “por força de um trabalho, também a pedido da Câmara Municipal de Ovar, fomos nós que fizemos a orquestração, e participámos no musical” de abertura do Carnaval de Ovar. “E a Banda do Lau, então tem aí, a sua retomada histórica”, acrescentou.
Ainda sobre a história desta associação, Ascendino Silva conta, em jeito de curiosidade, que “a Banda do Lau tem uma coisa interessante”, na história do Carnaval de Ovar, que é o facto de “nós tivemos a primeira intervenção, na primeira Noite Mágica”.
“Nós éramos o grupo que acompanhava o Axu Mal, nas passagens pelos cafés, nesse ano, presumo eu, porque choveu, foram obrigados a adiar para a segunda–feira”, tendo em conta que esse circuito era feito na sexta–feira de Carnaval. Após terem terminado a ronda, foram “para cima de uma barbearia e começou-se a fazer, lá, um arraial. No segundo ano voltámos a fazer arraial. No terceiro ano, o José Américo (que na altura presidia a Fundação do Carnaval de Ovar), colocou já o sistema de som, para amplificar o que a gente estava a fazer, e colocou-o, também, no agrupamento” que ia tocar a seguir, acrescentou o presidente da Associação Musical Banda do Lau.
Ascendino Silva considera que “a Banda do Lau continua a fazer os seus trabalhos, e por força da necessidade, viu-se obrigada a constituir-se numa associação, para que pudesse fazer frente, face a esses compromissos”.
Segundo o maestro, “a Banda do Lau foi sempre mantida num espírito, como o Senhor Lau a criou, que era um grupo de amigos, e continuamos a preservar essa amizade entre todos, fazendo música”.
Já sobre a inauguração da nova sede social, que tem nove salas destinadas ao ensino musical, Ascendino Silva afirmou ser motivo de “orgulho muito grande, porque o Senhor Lau, era quase como se fosse um avô da banda”. “Quem conviveu com ele, quem conviveu comigo, sabe que havia uma ternura muito grande e um respeito muito grande”, afirmou, acrescentando que “o Senhor Lau era muito boa pessoa e creio que quem conviveu com ele sabe o que é que eu estou a dizer, e para mim diz muito, aliás, a Banda do Lau serviu para o meu ‘batismo de voo’”.
Quanto ao Fusa – Academia de Música, Ascendino Silva afirmou ser “um projeto pedagógico, numa vertente de associativismo, que vamos tentar procurar dar música aos nossos associados e filhos de associados, com o profissionalismo” que já todos conhecem, sendo um projeto onde “vamos tentar ser diferentes”.

Leia o artigo completo, na nossa edição impressa, que já se encontra nas bancas.

Artigos Relacionados