Jornal Praça Pública

Carnaval de Ovar sai à rua nos três dias de desfiles

Tiago Carriola

Carnaval de Ovar sai à rua nos três dias de desfiles

Após quatro anos sem fazer a festa completa, devido ao mau tempo, o que obrigou ao cancelamento de alguns desfiles, os foliões vareiros puderam, finalmente, fazer a festa completa, uma vez que o bom tempo permitiu que os desfiles de sábado (Escolas de Samba), domingo e terça-feira (Grande Corso Carnavalesco), saíssem à rua.
Este ano, o desfile foi mais rápido (os grupos e escolas de samba tiveram que cumprir com os tempos estabelecidos pela organização) do que o habitual, e todos saíram a ganhar, principalmente os milhares de visitantes que ovar acolheu nestes três dias.
Assim, no domingo e na terça-feira, a Escola de Samba Costa de Prata, que se sagrou tricampeã do Carnaval de Ovar, na categoria Escolas de Samba, deu início ao desfile, com o tema “A Celebração da Vida”, fazendo referência a uma das mais antigas tradições mexicanas, relacionada com a forma como os mexicanos celebram o dia dos mortos, celebrando a vida dos que já partiram.
Seguiram-se os piratas dos Condores, os vendedores dos Levados do Diabo, as Palhacinhas, com o tema “2 em 1”, as empregadas dos Pinguins e os bebés dos Garimpeiros.
O segundo bloco foi aberto pela Charanguinha, que levou para a avenida, várias personagens icónicas da Disney, como o Mickey, a Minie e o Pato Donald, numa homenagem à própria Disney, com o tema “If you can dream it, you can do it”. De seguida, foi a vez das freiras dos Catitas invadirem a Avenida Sá Carneiro, seguindo-se os chefs dos Vampiros, que regressaram aos triunfos no nosso carnaval, as índias das Melindrosas, os pescadores dos Pindéricus e os palhaços dos Xaxas.
Já o terceiro bloco foi aberto pelos motards da Escola de Samba Juventude Vareira, que este ano, tiveram como tema “Armar um 31”, seguindo-se os Zuzucas, e as suas bolas de snooker. Também neste bloco desfilaram os pinguins e os esquimós dos Marroquinos, as borboletas das Barulhentas, os fotógrafos dos Marados e os ciclistas dos Não Precisa.

Leia o artigo completo na nossa edição impressa, que já se encontra nas bancas.

Artigos Relacionados