Jornal Praça Pública

Companhia Vareira estreou o espetáculo “Emoções”, no auditório do Centro de Arte de Ovar

Manuel Correia

Companhia Vareira estreou o espetáculo “Emoções”, no auditório do Centro de Arte de Ovar

A Companhia Vareira estreou, na noite de 30 de abril, no auditório do Centro de Arte de Ovar, o espetáculo “Emoções”.
Trata-se de um espetáculo, segundo Miguel Cunha, diretor artístico e coreógrafo de “Emoções”, que tem como objetivo retratar todas as emoções que o ser humano vive, como o sofrimento, a ternura, a revolta, o amor, o ódio, a alegria e a esperança, marcando “um passo mais acima, que a Companhia (Vareira) dá”, superando a “nós próprios”, apresentando um espetáculo “cada vez menos amador, sendo nós, sempre, amadores”, ou seja, levando ao palco, um espetáculo, “o mais profissional possível”.
Sobre o espetáculo, em si, Miguel Cunha afirma que quando decidiram fazê-lo, foi preciso “arranjar sempre um tema, um fio condutor para desenvolver”.
“O espetáculo não começou com este tema, começou com outros (temas), mas foi-se direcionando para isso porque achamos que as emoções são uma coisa que toda a gente vive”, afirma Miguel Cunha, e acrescenta que “a ideia do espetáculo vai crescendo, e no meu entender, nós quando vimos ao mundo, vimos despidos de emoções, e daí, aliar o fato/figurino cor de pele, e à medida que nós vamos apresentando a emoção, ou seja, que a vamos lendo, vamos ganhando novas emoções”.
De forma a tornar este espetáculo, ainda mais rico, “aliámos um grande escritor, que foi o Fernando Pessoa”, uma vez que “com toda a sua genialidade, seria uma mais valia, e era uma coerência para o espetáculo, visto que ele tem aqueles heterónimos todos e há sempre um heterónimo que fala de cada emoção em específico”.
A introdução de cada emoção é feita a partir de excertos “do (livro do) ‘Desassossego”.
Por sua vez, Salvador Malheiro, presidente da Câmara Municipal de Ovar, começa por citar o escritor Oscar Wilde, que afirma que “a emoção pela emoção é a finalidade da arte, a emoção pela ação é a finalidade da vida e dessa organização da vida a que chamamos a sociedade”.
Segundo o edil, este é “mais um grandioso espetáculo” da Companhia Vareira, que a Câmara Municipal de Ovar teve “o orgulho de apresentar no nosso palco cultural de excelência, o Centro de Arte de Ovar”.
Para o autarca, “ao longo destes anos de existência, a Companhia Vareira tem estado em franca expansão e desenvolvimento, sendo uma coletividade com grande dinamismo, sobejamente conhecida e reconhecida pela comunidade local e até regional, colaborante com outras coletividades locais e que participa com regularidade em atividades de cariz solidário”.

Leia o artigo completo, na nossa edição impressa, que já se encontra nas bancas.

Artigos Relacionados