Jornal Praça Pública

“Concertos (In)Comuns em Lugares (In)Comuns” regressaram a Ovar, para duas noites de música

Manuel Correia

“Concertos (In)Comuns em Lugares (In)Comuns” regressaram a Ovar, para duas noites de música

O “Concertos (In)Comuns em Lugares (In)Comuns” regressou, nos passados dias 2 e 3 de março, à cidade de Ovar, para a sua quinta edição.
Com menos dias, relativamente à edição do ano passado, o Centro de Arte de Ovar, a Escola de Artes e Ofícios e o Museu Júlio Dinis, foram os locais escolhidos para receberem os concertos do “Concertos (In)Comuns em Lugares (In)Comuns” deste ano, que contou com nomes como Isaura, Orelha Negra ou Aline Frazão.
A quinta edição do “Concertos (In)Comuns em Lugares (In)Comuns”, arrancou, na Escola de Artes e Ofícios, com o concerto de Isaura. Perante uma sala cheia, a também compositora de “O Jardim”, canção vencedora do Festival da Canção 2018, mostrou o seu pop alternativo, cantando alguns dos seus temas mais conhecidos, como “Change it”, “I need ya” ou “Useless”, animando o público presente e aproveitando a ocasião para apresentar alguns temas novos.
Seguiu-se, ainda na mesma noite, no auditório do Centro de Arte de Ovar, o concerto dos Orelha Negra, que apresentaram-se desfalcados, devido à ausência de Sam The Kid. Porém, e com menos público do que Isaura, a banda fez questão de oferecer um excelente concerto, onde foi possível ouvir temas como “Ready (Redenção)”, “Parte de mim”, ou “M.I.R.I.A.M.”, recorrendo a brilhantes jogos de luzes a a projeção de alguns grafismos.
A última noite da quinta edição do “Concertos (In)Comuns em Lugares (In)Comuns”, abriu com o concerto de Mazgani, no Museu Júlio Dinis. Nascido no Irão, mas radicado em Portugal, desde 1979 (altura em que se deu a Revolução Iraniana), Mazgani, levou o seu folk e o seu rock ao auditório do Museu Júlio Dinis, que se encontrava esgotado, através de músicas como “The Poet’s Death”, “The Travaler” ou “Song Of The New Heart”.
De seguida, foi a vez da angolana Aline Frazão, que também concorreu, como compositora, na edição deste ano do Festival da Canção, levar a música africana, ao palco montado na Escola de Artes e Ofícios. “Tanto”, “Insular” ou “Susana”, foram alguns dos temas que se ouviram, durante este concerto.

Leia o artigo completo, na nossa edição impressa, que já se encontra nas bancas.

Artigos Relacionados