Jornal Praça Pública

Desaparecimento de Alberto Sousa Lamy é perda irreparável para a sociedade ovarense

António Dias

Desaparecimento de Alberto Sousa Lamy é perda irreparável para a sociedade ovarense

Ovar perdeu um enorme vareiro, mas acima de tudo viu partir o maior historiador local do concelho. Advogado e escritor, Alberto Sousa Lamy publicou 25 livros, na maioria dedicados à historia local ovarense. O último livro, “Dicionário da História de Ovar – Volume 4” foi lançado em setembro, na abertura do Festival Literário de Ovar.
Licenciado, em 1958, na Faculdade de Coimbra, foi vogal do Conselho Geral da Ordem dos Advogados (1981-1983) e vogal do seu Conselho Superior (1990-1998). A 25 de julho de 1994, foi galardoado pela Câmara Municipal de Ovar com a Medalha de Mérito Municipal Ouro, pela sua dedicação à divulgação da história local.
A Câmara Municipal de Ovar, pela voz do seu presidente, reagiu à notícia do falecimento de Alberto Sousa Lamy destacando tratar-se “sem sombra de dúvida, do desaparecimento de uma das maiores referências da nossa comunidade nas últimas décadas”. Por isso, disse Salvador Malheiro, “tudo faremos para perpetuar o Dr. Alberto Lamy entre nós”.
Quem também reagiu foi o Partido Socialista de Ovar, salientado que “Ovar perdeu um dos seus maiores valores humanos”. Os socialistas dizem tratar-se do desaparecimento de “um homem de invulgar cultura, mas, sobretudo, de um homem de enorme sensibilidade, humanista, generoso, tolerante e muito atento ao meio que o rodeava, fosse local ou profissional”.
O ex-presidente da autarquia ovarense, Armando França, referiu-se a Alberto Lamy como “uma pessoa verdadeiramente excecional”, que destaca ter conhecido há mais de 40 anos. Tratava-se, disse Armando França, de “um ser invulgarmente lúcido e atento, cortez, lhano, afável, sensato, estudioso, que irradiava respeito, humildade, autenticidade e sabedoria”. “O Sr. Dr. Alberto Lamy”, frisou o ex-presidente da Câmara Municipal de Ovar, “foi um cidadão impoluto e um vareiro dedicado, excecional e amante da sua terra natal, que em muito valorizou e dignificou Ovar e a cultura vareira”.
Para Armando França, o desaparecimento de Alberto Sousa Lamy significa a perda do “maior vulto da cidadania e da cultura vareiras na segunda metade do séc. XX, e nestes 18 anos do séc. XXI”. O seu desaparecimento é, por isso, “irreparável, tanto mais que ainda se mantinha em pleno labor na investigação histórica e na escrita”, disse o socialista.
O executivo da União de Freguesias e o CDS de Ovar também manifestaram consternação e pesar pelo desaparecimento do advogado e historiador ovarense, Alberto Sousa Lamy.

Leia o artigo completo, na nossa edição impressa, que já se encontra nas bancas.

Artigos Relacionados