Jornal Praça Pública

Fest’Arada: Um festival com um grande leque de sonoridades

Fernando Souteiro

Fest’Arada: Um festival com um grande leque de sonoridades

O reconfortante largo de Nossa Senhora do Desterro, em Arada, foi o cenário escolhido para a realização do Fest’Arada 2017, uma iniciativa levada a efeito pelo Grupo Folclórico (GF) “Os Fogueteiros de Arada”, que, demonstrando ser uma instituição heterogénea, virada também para a juventude, ao longo destes últimos anos tem levado a efeito este festival.
Foram dois dias recheados de música, alguma adrenalina, diversão e boa disposição. Durante o evento realizaram-se torneios de vólei de praia e de setas em sisal. Em termos de animação musical, o certame abriu com o grupo da casa, os “Phrontline Combo”, amantes do rock puro e duro, com solos de guitarra, fazendo lembrar o inconfundível Jimmy Hendrix. A banda aradense era constituída por dois jovens da terra.
De seguida, atuou uma banda com uma sonoridade completamente diferente, muito próximo dos ritmos eletrónicos. Os “Cityspark”, de Castelo de Paiva, que em alguns momentos do seu concerto fizeram lembrar os A-Ha, os Depeche Mode ou os Duran Duran. O seu concerto ficou marcado por um grande aspeto cinematográfico de efeitos especiais, em que do palco pareciam brotar chamas, que, conjugado com a sua sonoridade e os efeitos de luzes faziam uma ‘harmonia’ perfeita, de um belíssimo aspeto visual.
O segundo dia do “Fest’Arada” ficou marcado pelas atuações das bandas “Semnomemasjafoto” e “Ashes of The Pas”, bem como da cantora ovarense Marisa Almeida, participante do concurso televisivo “The Voice Portugal”. De realçar que, esta cantora de 26 anos recebeu, recentemente, um voto de louvor da Junta de Freguesia de Válega, localidade onde reside, atualmente.

Artigos Relacionados