Jornal Praça Pública

Festovar 2018: “O Cerejal ou as Memórias de Gricha” subiu ao palco do Centro de Arte de Ovar

Manuel Correia

Festovar 2018: “O Cerejal ou as Memórias de Gricha” subiu ao palco do Centro de Arte de Ovar

Teve lugar, na noite de 17 de novembro, no Centro de Arte de Ovar, a peça “O Cerejal ou as Memórias de Gricha”, pelo Círculo Experimental de Teatro de Aveiro (CETA), inserido na programação do XV Festovar.
“O Cerejal ou as Memórias de Gricha” é uma comédia dramática que retrata a lenta e implacável decadência da pequena aristocracia rural russa, que ao introduzir a desdramatização, rompe com a construção convencional de uma peça de teatro.
Desta forma, as personagens de “O Cerejal ou as Memórias de Gricha”, cujas vidas se encontram mergulhadas num quotidiano bastante cinzento e cortadas, como se fossem cerejeiras, representam um pequeno e particular universo que se encontra em desagregação, mostrando uma destruição bem maior que se estende a toda a Rússia.
Esta é mais uma obra de Anton Tchekhov, que juntamente com “As Três Irmãs”, “Tio Vânia” e “A Gaivota” serviu de mote para que Stanislavski desenvolvesse o seu método de interpretação.
Na tarde de 18 de novembro, e já de regresso à Casa da Contacto, o programa do XV Festovar, prosseguiu com a peça de teatro infanto-juvenil “Zé das Moscas”, que retrata a história de um rapaz, conhecido como Zé das Moscas, que tem um problema com as moscas, sendo que ninguém o consegue ajudar.

Leia o artigo completo, na nossa edição impressa, que já se encontra nas bancas.

Artigos Relacionados