Jornal Praça Pública

Secretária de Estado da Saúde presidiu à cerimónia de lançamento do projeto Saúde em Ovar Sem Papel

DR

Secretária de Estado da Saúde presidiu à cerimónia de lançamento do projeto Saúde em Ovar Sem Papel

Rosa Valente de Matos, Secretária de Estado da Saúde, presidiu, no passado dia 13 de maio, à cerimónia de lançamento do projeto Saúde em Ovar Sem Papel (SOSP), que teve lugar, na Escola de Artes e Ofícios.
Trata-se de um projeto da responsabilidade do Ministério da Saúde, em colaboração com os Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS), a Administração Regional de Saúde do Centro, o Agrupamento de Centros de Saúde do Baixo Vouga (ACES BV) e do Hospital Dr. Francisco Zagalo, que, segundo uma nota enviada para a nossa redação, surge “como uma evolução do HOSP: Hospital de Ovar Sem Papel desenvolvido nos últimos 5 meses”.
Assim, através do SOSP, “os utentes do ACES BV vão poder sair de uma consulta com o médico de família já com os meios complementares de diagnóstico e terapêuticos agendados no Hospital de Ovar”, sendo que “após a realização dos exames, os resultados ficam também disponíveis para o médico de família no sistema informático”.
O projeto SOSP irá “arrancar com uma experiência-piloto na Unidade de Saúde Familiar João Semana e, progressivamente, será alargado a outras Unidades Funcionais de Ovar”.
Segundo Luís Miguel Ferreira, diretor do Hospital Dr. Francisco Zagalo, “é um enorme privilégio fazer parte desta história, que está a ser escrita com o esforço e dedicação dos nossos profissionais e que, como se verificou na sessão de hoje, consubstancia um trabalho reconhecido pelo Ministério da Saúde, pela SPMS e por inúmeras unidades hospitalares de vários pontos do país que quiseram ouvir o nosso testemunho”.
Porém, “este momento, que sinaliza alguns resultados importantes obtidos com o HOSP, não é o fim de um percurso. É também um momento para darmos início a uma nova fase, de alargarmos o projeto à realidade de todo o concelho de Ovar e de aprofundarmos a ligação aos cuidados de saúde primários”, afirma Luís Miguel Ferreira.
De realçar que o Hospital de Ovar é pioneiro no processo de desmaterialização que, em janeiro de 2018, aumentou de 27, para 73% a percentagem de Receitas Sem Papel desmaterializadas, reduzindo o consumo de papel, nos meses de janeiro e fevereiro, para 50%, relativamente ao mesmo período de 2017.

Leia o artigo completo, na nossa edição impressa, que já se encontra nas bancas.

Artigos Relacionados