Jornal Praça Pública

Válega: Junta de Freguesia pede mais saneamento básico e mais obras para a vila

A sessão solene do 32º aniversário da elevação de Válega a vila ficou marcada pelo discurso emotivo e incisivo de Jaime Almeida. O atual presidente da Junta de Freguesia de Válega falou da“obra feita”, diz não querer louvores, pede apenas respeito pelo seu trabalho, e reivindica, à Câmara Municipal de Ovar, mais obras para a freguesia.

O dia iniciou-se bem cedo com o desfile da Fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Ovar e uma magnífica descarga de fogo, que antecederam a sessão solene onde marcaram presença Pedro Braga da Cruz, presidente da Assembleia Municipal de Ovar, Salvador Malheiro, presidente da Câmara Municipal, Ana Cunha vereadora com os pelouros da Educação e da Ação Social, e Bruno Oliveira, presidente da União de Freguesias, entre outras individualidades.

As comemorações arrancaram com a atuação de Marisa Almeida, cantora e ex-concorrente do programa televisivo “The Voice Portugal”, seguindo-se a declamação de três poemas de Glória San-t’Anna, pelo jovem valeguense Fábio Barge, fundador do Grupo ASAS – Anjos Solidários. Jaime Almeida salientou que “não há terra que perdure no tempo, sem respeitar a herança do passado”, e lembrou Laranjeira Vaz, personalidade “importante para a história da freguesia”, disse.

O presidente da Junta de Freguesia de Válega destacou ter “uma excelente equipa de trabalho, a melhor do mundo e com uma grande visão de futuro”, mas não esqueceu “o dinamismo e a capacidade de trabalho dos anteriores executivos, bem como das coletividades valeguenses”. Na hora de fazer o balanço do trabalho realizado, defendeu que o seu executivo “vai mostrando obra feita”, citando a pavimentação de diversas ruas e os melhoramentos diversos, concretizados através de “uma pressão dialogante com a Câmara Municipal”, destacando que que o desenvolvimento de Válega “é obra de todos nós”.

Num olhar para o futuro, Jaime Almeida defendeu que Válega precisa de mais obra para continuar na senda do desenvolvimento, e apontou à Câmara Municipal de Ovar o que considera serem as prioridades da vila – “mais saneamento básico, a remodelação do pavilhão gimnodesportivo e da zona envolvente, um centro cívico na freguesia, a colocação em prática de todas as valências no renovado edifício da Escola Oliveira Lopes e a integração dos seus museus na rede museológica de Ovar”.

Jaime Almeida lembrou que, ao longo dos oito ano sem que está à frente dos destinos de Válega, sempre colocou o seu “suor e lágrimas ao serviço da causa pública”,e que tem “o sentimento de dever cumprido”. Contudo, o autarca diz que, mesmo assim,não é por isso que quer“louvores”, pedindo, antes,“que me respeitem”, disse.

Em dia de festa, Salvador Malheiro defendeu que, em Válega “a obra está à vista de todos”, apontando que o projeto do pavilhão está pronto e que no próximo mandato será lançada a obra. O edil deixou, ainda, uma boa notícia a todos os presentes, por ter sido publicado, em Diário da República, que a Adra vai construir 26 quilómetros de rede de águas residuais, na zona sul da freguesia, num investimento de 3,5 milhões de euros.

A finalizar, Salvador Malheiro vincou que, neste momento, existem mais de quatro milhões de euros de obra na freguesia, e que está de consciência tranquila. Por isso, disse o presidente da Câmara Municipal de Ovar, se for reconduzido no cargo pretende “colocar Válega no lugar que devia estar há muitos anos”

Artigos Relacionados