fbpx
Basquetebol: “Todos gostaríamos de estar numa melhor classificação”

Basquetebol: “Todos gostaríamos de estar numa melhor classificação”

Presidente da ADO Basquetebol fez o primeiro balanço desde que assumiu a liderança do clube alvinegro. Rui Palavra reconhece que os resultados das equipas seniores, masculina e feminina, que atuam nas respetivas Ligas, não são o que se esperava, fala das dificuldades financeiras que assolam o clube, e aponta a estratégia delineada para colocar o clube “num patamar de sustentabilidade económico-financeira”.

Passaram seis meses desde que a nova direção da ADO Basquetebol assumiu funções. Que balanço faz do trabalho desenvolvido até ao momento?
Um balanço muito positivo. As pessoas, e desde logo os nossos atletas e as suas famílias, têm tido um empenho e dedicação inexcedíveis. Os nossos treinadores e o staff de apoio, num total de 40 pessoas, de segunda a domingo têm vindo a desenvolver um trabalho notável. E os nossos adeptos, com destaque para a nossa fantástica claque, têm apoiado de forma incondicional.

Mas há os planos financeiro e resultados desportivos.
Aí o balanço é menos positivo. As condições financeiras em que tudo se vai desenvolvendo são adversas. Os resultados desportivos das equipas seniores, até ao presente, não são os que todos gostaríamos.

Está a ser um ano historicamente difícil.
De facto, o ano desportivo parece não estar a correr bem. Todos, sem exceção, gostaríamos de estar numa melhor classificação nos campeonatos da Liga masculina e feminina. Mas, como acompanhamos diariamente os trabalhos e dialogamos permanentemente com as equipas técnicas, respondendo o melhor possível, no quadro das condições do clube, ao que vai sendo colocado como necessário e conveniente a cada momento, acreditamos que todos estão focados e empenhados em levar as equipas aos lugares que desejamos.

A escolha dos jogadores estrangeiros no início da época e as trocas já efetuadas ainda não asseguraram que a Ovarense vai sair da difícil situação em que se encontra. Para garantir que a Ovarense se vai manter na Liga, estão em aberto novas alterações, ou a inclusão de um quinto jogador estrangeiro?
Acreditamos que as trocas já efetuadas vieram trazer maior capacidade, soluções e coesão á equipa, e que a atual classificação não reflete a sua qualidade. Basta lembrar que perdemos quatro jogos por cinco pontos, ou menos, pelo que continuamos convictos que nos vamos qualificar para continuar na Liga.

Podem haver alterações?
Abertos para alterar o que a equipa técnica entende sempre estivemos e estamos. Essa análise tem sido feita sucessivamente, o que não significa que se possa contratar todo e qualquer atleta, se possa obrigar um ou outro jogador “falado” a vir quando não quer, ou que eventuais alterações se façam de um dia para o outro. São processos técnicos exigentes, já nem falando de vertente financeira.

Ler entrevista completa na edição impressa

CATEGORIAS