fbpx
Covid-19: Governo prolongou o estado de emergência até ao dia 1 de março

Covid-19: Governo prolongou o estado de emergência até ao dia 1 de março

António Costa, anunciou, na última semana, o prolongamento do estado de emergência, que teve início no dia 15 de janeiro, até ao dia 1 de março, e que o Governo deverá manter o mesmo nível de confinamento, ou parecido, durante o mês de março. O Primeiro-Ministro defendeu que este “não é o momento para discutir desconfinamentos”, e disse que o Governo não quer “iludir” os cidadãos com uma decisão “precipitada”. Salientando que “é prematuro dizer quando vamos levantar o confinamento”, António Costa esclareceu que o “desconfinamento será gradual”.
De uma maneira geral, a variante britânica do vírus e a necessidade de reduzir a propagação da pandemia para “níveis de segurança” são as razões invocadas por António Costa para justificar que o mês de março terá um confinamento “muito semelhante ou igual” ao que está atualmente em vigor.
Sobre o regresso às aulas, o Primeiro-Ministro lembrou que se iniciaram, no passado dia 8, “as atividades letivas de forma remota” e anunciou que “assim nos manteremos”, defendendo que, por isso “é prematuro anunciar qualquer alteração”.
Apesar de defender a necessidade da manutenção do estado de emergência, António Costa deixou um sinal positivo sobre o atual confinamento e reconheceu o “esforço cívico” dos portugueses, destacando que o confinamento está a produzir resultados, com uma “redução de novos casos”, que se traduziu numa redução significativa do risco de transmissibilidade.
O índice de transmissibilidade (Rt) da Covid-19 estava, na última semana, em 0,77, “o mais baixo que o país já teve desde o início da pandemia”, adiantou, não deixando de lembrar que a situação do país “continua a ser extremamente grave”.

Confinamento abrandou significativamente a pandemia em Ovar
Os números da pandemia registados no concelho de Ovar, à hora do fecho da nossa última edição, demonstravam que os vareiros estão a cumprir rigorosamente com o confinamento imposto e que a pandemia sofreu um abrandamento significativo.
No dia 1 de fevereiro, o concelho de Ovar registava 542 casos ativos de Covid-19 e no dia 14 esse número tinha caído para menos de metade (219 casos ativos, cuja média de idades era de 50 anos).
Relativamente ao acumulado de novos casos no concelho de Ovar, nos últimos 14 dias, por 100 mil habitantes, e considerando uma população de 55400, este número continua a baixar e era, a 14 de fevereiro, de 601.

CATEGORIAS