fbpx
Governo decretou estado de calamidade no município de Ovar

Governo decretou estado de calamidade no município de Ovar

A Autoridade de Saúde colocou Ovar em quarentena geográfica e, pouco depois, o Governo decretou estado de calamidade no município de Ovar e anunciou as medidas que começaram a ser implementadas ontem.
Por o município de Ovar se encontrar “numa situação epidemiológica da COVID-19 compatível com transmissão comunitária ativa”, dentro do município de Ovar, por exemplo, está “interdita a circulação e permanência de pessoas na via pública, exceto para deslocações necessárias e urgentes”.
Está, também, imposto o encerramento de “todos os serviços públicos, nacionais ou municipais, exceto hospitais e centros de saúde, forças e serviços de segurança, serviços de socorro, comunicações e abastecimento de água e energia”, e de todos os “estabelecimentos comerciais e industriais, exceto no setor alimentar, farmácias e bancos e postos de abastecimentos de combustíveis”.
Num documento assinado por António Costa, Primeiro-Ministro, e pelo Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, o Governo fixou “uma cerca sanitária municipal, estando interditas as deslocações por via rodoviária de e para o município de Ovar, exceto as deslocações de profissionais de saúde, das forças e serviços de segurança, e serviços de socorro”.
Para além destas e de outras restrições impostas à circulação rodoviária está, também, proibida a tomada e largada de passageiros do transporte rodoviário nas estações e apeadeiros do município de Ovar.
Estas medidas estão a produzir efeitos desde as 00h00 de hoje, dia 18, e vigorarão até ao dia 2 de abril.

CATEGORIAS