fbpx
Oposição retirou-se em bloco na Assembleia Municipal e não votou o Orçamento para 2021

Oposição retirou-se em bloco na Assembleia Municipal e não votou o Orçamento para 2021

O Orçamento, as Grandes Opções do Plano (GOP) e o Mapa de Pessoal do município de Ovar para 2021, que tinham sido aprovados pelo executivo laranja, liderado por Salvador Malheiro, na última semana foram igualmente aprovados em sede de Assembleia Municipal, com os votos favoráveis de 18 deputados da bancada do PSD e de Bruno Oliveira e Jaime Almeida, os dois presidentes de Junta de Freguesia eleitos pelo PS, atualmente em exercício, numa reunião que ficou marcada pelo protesto da oposição, que não participou na votação dos documentos.
O BE, o CDS, o PCP e o PS, com as duas exceções já apontadas, protestaram e não votaram o Orçamento na Assembleia Municipal.

Salvador Malheiro destaca Orçamento onde a aposta está “alívio da carga fiscal” e no “reforço os apoios sociais
Aquando da discussão dos documentos, em sede de reunião de Câmara, o presidente da autarquia destacou tratar-se de um Orçamento “difícil por força da crise pandémica”, mas que contempla o “alívio da carga fiscal” e o “reforço os apoios sociais, sem desfocar do estratégico e estruturante”, garantiu.

PS votou contra o apontou o dedo à gestão da autarquia
Os dois vereadores socialistas da Câmara de Ovar votaram contra um Orçamento, em sede de reunião de Câmara, por este “não fomentar o desenvolvimento, não prever medidas de ajuda à Economia Local” e por “isentar de pagamento de impostos quem mais podia ajudar nesta tarefa que é de todos”, justificaram.

Ler notícia completa na edição impressa

CATEGORIAS