Presidente da ADO Futebol e sobrinho-neto de Marques da Silva juntam-se a Augusto Arala Chaves num apelo à salvação do estádio da Ovarense

Presidente da ADO Futebol e sobrinho-neto de Marques da Silva juntam-se a Augusto Arala Chaves num apelo à salvação do estádio da Ovarense

António Godinho, atual presidente da ADO Futebol, e Francisco Mendes, sobrinho-neto de Marques da Silva, juntaram a voz à de Augusto Arala Chaves, que lançou um apelo à comunidade e às instituições ovarenses no sentido de encontrar uma solução que impeça que a Ovarense perca, definitivamente, o Parque Marques da Silva.
Recorde-se que, a tomada de posição pública por parte de Augusto Arala Chaves aconteceu na sequência do anúncio feito pelo administrador de insolvência da Associação Desportiva Ovarense, que em 20 de setembro de 2019 comunicou ao Tribunal do Comércio de Anadia, onde corre termos o processo de insolvência da Associação Desportiva Ovarense, ter recebido, de um investidor de Fafe, “uma proposta, por escrito, para aquisição do Parque Marques da Silva, por 425 mil euros”, que veio a comunicar à Comissão de Credores e que, mais tarde, veio a aceitar, em definitivo, aguardando-se, apenas, a respetiva escritura.
A perda definitiva do Parque Marques da Silva seria, disse Francisco Mendes ao nosso jornal, “uma situação infeliz”. O sobrinho-neto de Marques da Silva lembra que foi “criado a ouvir falar da Ovarense” e destaca que “o avô tinha o desejo de que o Parque Marques das Silva se destinasse à prática do desporto, principalmente para dar a possibilidade aos miúdos de Ovar que quisessem praticar desporto”. Francisco Mendes diz olhar para o que se está a passar, “com alguma tristeza” e como ovarense salienta desejar “que tudo se resolva e que o Parque Marques da Silva nunca deixe de pertencer à Ovarense”.
Outra das vozes que se juntou a Augusto Arala Chaves foi a do presidente da ADO Futebol.
Apesar de “ainda não haver a confirmação da concretização da escritura”, António Godinho referiu estar “confiante e acreditar numa solução”, e disse esperar “continuar no Estádio Marques da Silva até que esta situação se resolva”. O presidente do clube vareiro acredita que, independentemente de tudo, “o clube não será obrigado a sair já das instalações”, e lembra que, se tal acontecesse “seria o fim da instituição”.
António Godinho diz estar “sereno e otimista” e destaca acreditar que “que tudo se vai resolver”.
O responsável máximo da Ovarense salienta que as forças vivas da cidade estão atentas e lembra que “o presidente da Câmara Municipal de Ovar já disse, várias vezes, que está atento” e que “isso nos transmite alguma confiança”, frisou.

Ler  notícia completa na edição impressa

CATEGORIAS