Sérgio Barreto: “Treinos por videoconferência são importantes para trabalhar a vertente emocional das atletas”

Sérgio Barreto: “Treinos por videoconferência são importantes para trabalhar a vertente emocional das atletas”

A pandemia da Covid-19 obrigou à interrupção abrupta de toda a atividade desportiva, mas Sérgio Barreto, treinador da equipa da Ovarense que milita na Liga Feminina de Futebol, elaborou um plano de treinos e alimentar para as atletas cumprirem durante o isolamento a que estão sujeitas. Ao nosso jornal, o treinador da Ovarense falou do contacto que mantém com a equipa, da importância de as atletas cumprirem com o plano estabelecido e, entre outras coisas, do futuro da equipa.

Como viu esta paragem abrupta da Liga, provocada pelo coronavírus?
Esta paragem, infelizmente, foi necessária para a segurança de todos, não só das jogadoras, mas também de todos aqueles que fazem da Ovarense, uma segunda casa. Apesar de muito nos ter custado esta decisão sabemos que foi a melhor.

E a imposição da cerca sanitária a Ovar?
Esta imposição não foi, com certeza, tomada de ânimo leve por parte dos responsáveis da autarquia, que assim colocaram a segurança da população à frente de tudo o resto. Na minha opinião, foi a melhor decisão que podiam tomar, pois só assim é que irão impedir a propagação do vírus. A população de Ovar só tem a beneficiar com esta medida preventiva.

Como é que as jogadoras reagiram a toda esta situação?
As jogadoras, apesar de se mostrarem preocupadas, têm conseguido manter a calma seguindo, rigorosamente, as medidas de quarentena. Têm consciência que, esta paragem não é de todo benéfica, não só a nível físico como também emocional, mas estão tranquilas.

Houve tempo para traçar um plano de treino e ‘manutenção’ para as jogadoras?
Esta foi a nossa maior preocupação no momento da decisão da paragem. Toda a equipa técnica reuniu imediatamente, a fim de traçar um plano de treino (físico e alimentar) capaz de ser aplicado às jogadoras, nas circunstâncias em que se encontram. Temos, também, realizado treinos por videoconferência, procurando manter as jogadoras ativas e sempre com espírito de equipa.

Com que regularidade tem falado com elas?
O contacto com as jogadoras tem sido, através das redes sociais e com mais rigor, para já duas vezes por semana, através dos treinos por videoconferência. Esta ligação é importante também para trabalhar a parte emocional e dar o apoio que, cada uma delas, individualmente, necessitar.

Ler entrevista completa na edição impressa

CATEGORIAS