fbpx
Suspeita de “mão criminosa” no incêndio em roulotte bar de Esmoriz

Suspeita de “mão criminosa” no incêndio em roulotte bar de Esmoriz

O proprietário da roulotte bar “Barriga Cheia”, que estava instalada na avenida Fernando Raimundo Rodrigues, em Esmoriz, junto à zona desportiva, suspeita que o incêndio que destruiu a sua propriedade, na madrugada do passado dia 1, teve “mão criminosa”, embora não suspeite de ninguém em particular.
Num extenso texto dirigido aos seus amigos e clientes, publicado nas redes sociais, o proprietário da roulotte bar defende ter “99,9% de certeza” que o incêndio foi provocado por “mão criminosa”, destacando ter encontrado “a porta estroncada”, quando chegou a local. Ainda assim, diz não fazer “a mínima ideia de quem poderá ter sido o infeliz que praticou um ato destes”.
Este responsável lembra que, no final dessa noite de trabalho, deixou a roulotte “depois de fazer limpeza e de desligar tudo no quadro e nas fichas”, tendo ficado por um curto período de tempo, no exterior, “á conversa com os colaboradores”. Depois, ter-se-ão despedido e dirigido a casa.
Contudo, o proprietário da roulotte bar “Barriga Cheia” estava longe de imaginar que dez minutos depois de chegar a casa iria receber um telefonema, de um amigo que mora perto do local onde se encontrava a roulotte, a avisar do sucedido. Incrédulo, o empresário dirigiu-se para o local e ao chegar lá deparou-se com a roulotte já praticamente consumida pelas chamas.
Apesar da roulotte bar “Barriga Cheia” não se encontrar coberta por nenhum tipo de seguro, o seu proprietário agradece aos clientes e amigos toda a solidariedade demonstrada e promete-lhes “voltar o mais breve possível”.

CATEGORIAS